Opinião: O declínio do Juventude. O que está acontecendo?

Neste espaço, em outros momentos não muito distantes, já por mais de uma vez fiz elogios ao trabalho realizado pelo Juventude, no Campeonato Brasileiro da série B. Não foi por acaso que o verdão atingiu um índice tão bom de aproveitamento, no começo do certame, O Juventude – salve alguma excessão – obteve bons resultados, jogando bem. E assim como naquele momento, a sequencia agora ruim do time – cinco jogos, com dois empates e três derrotas – é também fruto do desempenho de campo, pois é notória a queda de rendimento da equipe. O Juventude está jogando mal e tropeçando, simples assim. O que acontece é que os times passaram a estudar e conhecer tudo sobre a forma de jogar do Juventude, que para tentar sair da forte marcação adversária, tentou – com razão – mudar o jeito de jogar, mas não conseguiu uma maneira sólida e competente de atuar. Gilmar Dal Pozzo mexeu no time, trocou peças, além de mudar o seu 4-1-4-1 para um ineficaz 4-2-3-1, com os jogadores não se encaixando no esquema. Wallacer, que ganhou vaga na equipe pelo bom número de gols e assistências, foi colocado para jogar na beirada do campo, onde não rende o mesmo de quando joga infiltrado. Ramón de atuações irregulares, perdeu espaço para outras alternativas, a última delas: Caion, que mostra-se muito esforçado e pouco eficaz. Tiago Marques, o goleador, passou a receber marcação diferenciada dos adversários, como resultado disso tem saído muito da área, alternativa que seria boa, caso alguém fizesse companhia pra ele, o que raramente é visto. De boas atuações, Fahel se lesionou e desfalca o time nestes jogos da semana, contra o América-MG Wanderson foi o escolhido para usar a camisa 5, ele é o mesmo que já foi utilizado por Antônio Carlos Zago: bom tecnicamente, mas lento na recomposição e falho no quesito básico para um primeiro volante, que é proteger a zaga.

O Juventude, pode sair desta má fase. Não precisa de medidas drásticas como alguns sugerem – mudar técnico, por exemplo – mas não pode recorrer à soluções velhas e de conhecido resultado, se quiser obter melhor desfecho.

Amanhã o duelo é contra o Figueirense, outro time que vive fase delicada. Vejamos quem será mais feliz em solucionar os seus problemas.

BOA SEMANA!

Deixe seu comentário