Opinião: A virada de Gilmar Dal Pozzo no Juventude

Nunca fui e espero jamais me tornar, mesmo que de forma inconsciente, um analista de resultados. Creio que o RESULTADO no futebol é um indicativo, mas jamais poderá ser determinante para estabelecer  uma verdade absoluta, sobre a capacidade de alguém. Em muitas vezes, de fato, time que perde, é porque é mau treinado, ou mal escalado, isto é, o treinador é muito responsável pelo que se vê em campo. Mas ao contrário do que muitos pensam, nestes casos a demissão do técnico, não é a única saída para melhorar um time. Em muitas vezes, as atitudes do próprio profissional podem ser repensadas, as escolhas podem ser modificadas, e por lógico, o rumo pode ser retomado. Isso foi o que aconteceu com Gilmar no Juventude, o treinador modificou esquema tático, mudou a escalação e até a concepção mais conservadora de substituições. RESULTADO:  O time voltou a ter rendimento e a ganhar jogos. Se não tivesse vencido os confrontos contra Internacional e Criciúma, certamente Gilmar não teria tempo de mudar, pois esperou até o último momento para fazer isso. Mas o fez, e deu resultado. Agora merece todo o crédito para permanecer no clube até o final do projeto, mostrou que ainda tem “bala na agulha” para tirar o “algo mais”, deste grupo de jogadores. Com Gilmar e estes atletas, o Juventude pode brigar para subir, embora esta não seja a obrigação. Então é hora do torcedor jogar junto e fazer a sua parte. Time, comissão técnica e dirigentes, já estão fazendo.

Deixe seu comentário