Juventude: Klaus, um zagueiro de números

Jogador vem se destacando na defesa juventudista
klaus3

Foto: Arquivo pessoal

Foto: Divulgação- Internet

Foto: Arquivo Pessoal

O Juventude está apresentando na temporada 2016 mais uma novidade vinda das categorias de base para o torcedor Jaconero. William Klaus, o Klaus, 22 anos. Jogando ao lado de atletas mais experientes, como Pereira e Heverton, o zagueiro vem conquistando cada dia mais seu espaço no grupo de jogadores.

Bastante elogiado pelo técnico Antônio Carlos, Klaus tem um diferencial. Em um mundo da bola onde os atletas abandonam muito cedo os estudos, estar em uma universidade já poderia ser considerado um grande feito. Entretanto, o curso escolhido por Klaus chama mais atenção ainda. Diferente de outros jovens atletas e ex-jogadores que vão para o caminho da educação física, o zagueiro juventudista fez uma escolha diferente: Engenharia Civil.

O gosto pelo estudo de Klaus vem de casa. “Sempre gostei de estudar. Minha mãe é professora. Fui incentivado por ela a entrar na faculdade. Comecei na PUC, em Porto Alegre, quando jogava no Grêmio. Foi bem difícil no início. Mas eu tenho facilidade. Acho que todo mundo tem que se instruir, saber entender as coisas e isso me ajuda também dentro de campo”.

Foto: Divulgação- Internet

Foto: Arquivo pessoal

Titular em três jogos do Juventude no Gauchão, com Klaus em campo o time só levou um gol em quatro partidas que o atleta participou. A vida acadêmica é também uma forma do atleta desligar do futebol quando não está nos treinamentos ou concentrações. “Também é um jeito de não pensar só no futebol, tirar a cabeça disso. Ter outro ciclo de amizades, conhecer outras pessoas. Isso me faz muito bem”.

Foto: Divulgação - Internet

Foto: Arquivo Pessoal

Ao ser questionado sobre o que considera mais difícil, marcar um atacante ou resolver um cálculo, o futuro engenheiro foi matemático. “Marcar um atacante. Ali as probabilidades são muito grandes. O cara pode fazer o que quiser com a bola e o cálculo só tem uma resposta”. Sobre o futuro, Klaus pensa nas possibilidades. ” O futebol é imediato. Agora eu tenho que aproveitar a fase boa, tenho 22 anos. A engenharia eu posso seguir carreira depois.”

O fato de ser um atleta profissional e estudante universitário, faz com que Klaus viva situações inusitadas na faculdade. “O pessoal incentiva bastante. Principalmente os professores. Às vezes tenho que pedir algumas ajudas por faltar em aulas nos dias de jogos. Os professores tietam bastante e dizem ‘uma camiseta para fazeres a prova em outro dia‘ (risos). Mas não me ajudam nas provas”.

Klaus deve ser titular na equipe juventudista na partida contra o São José no próximo domingo, no Estádio Alfredo Jaconi. O jogador iniciou os confrontos contra o Cruzeiro, em Gravataí, Ypiranga, em Erechim, e Brasil, em Pelotas. O jogo do fim de semana pode ser o primeiro do zagueiro diante da torcida alviverde. A única oportunidade no Jaconi, em 2016, foi contra o Internacional, entrando no decorrer da partida, quando o placar já estava 1 a 0 para o colorado.

 

Deixe seu comentário