2005, um ano em que o Farroupilha não perdeu para o Inter-B e quase abocanhou uma vaga em competição nacional

Neste domingo, dia 30 de abril, o Farroupilha voltará a campo e começará a disputa do returno da fase inicial da Terceirona. O adversário será o Inter-B e a partida acontecerá no estádio Nicolau Fico, no bairro Fragata, na cidade de Pelotas. Lembrando que os dois times se enfrentaram no meio desta semana e a equipe colorada bateu de forma inapelável ao Fantasma, 4×0, em jogo que aconteceu na cidade de Alvorada e que foi decidido no primeiro tempo, com uma atuação avassaladora do quadro B do Internacional.

Mas independente do resultado do jogo deste dia 30, a história que contaremos nos transportará para o ano de 2005, quando 28 equipes disputaram no segundo semestre daquele ano mais uma edição da Copa da Federação Gaúcha de Futebol, que naquela ocasião, foi batizada com o nome de seus dois patrocinadores, sendo que o primeiro “homenageado” era um rede de supermercados cujo nome é sinônimo de grande e o segundo patrocinador era uma operadora de telefonia.

Dentro de campo as equipes foram divididas em quatro chaves, sendo que duas eram compostas por seis times, outra tinha sete agremiações e mais uma que tinha nove clubes de futebol. E foi neste grupo de nove equipes que tivemos a participação do Inter-B, que jogou contra o Grêmio-B, Novo Hamburgo, Lami de Porto Alegre, Ulbra de Canoas, RS de Alvorada, Sapucaiense, Sapiranga e Cruzeiro.

Diferente do que observamos hoje, quando o Inter-B está atropelando seus adversários na Terceirona, naquela Copa o time da capital fez uma campanha apenas mediana na fase inicial do certame, ficando na quarta colocação do grupo após disputar 16 jogos e vencer seis, empatar o mesmo número de confrontos e perder quatro partidas, ou seja, o segundo quadro do Colorado de 2005 era, com boa vontade, um time apenas normal.

Já o Farroupilha, que vinha embalado pela volta ao Gauchão da Divisão Especial neste ano de 2005, ficou numa das duas chaves com seis equipes e enfrentou a dupla BraPel, o São Paulo de Rio Grande e os dois times de Santa Maria, Internacional e Riograndense, que foram desclassificados neste primeiro momento. O Farroupilha vivia uma fase tão boa que ficou na segunda posição de seu grupo, classificando-se à frente de São Paulo e Pelotas.

Na segunda fase, as dezesseis equipes que restaram foram divididas em quatro chaves compostas por quatro times. E foi neste momento que os caminhos de Farroupilha e Inter-B se cruzaram, já que os dois times e mais Esportivo e Três Passos formaram o grupo 3 desta fase. E, para surpresa de muitos, nem Esportivo e muito menos o Inter-B conseguiram se destacar. Desde o início da disputa, Farroupilha e Três Passos sobraram e garantiram suas vagas para as quartas de finais com duas rodadas de antecedência.

O Farroupilha foi tão superior que goleou o Esportivo, na cidade de Bento Gonçalves, 3×0 e terminou a segunda fase da competição de forma invicta, com três vitórias e três empates. Fato marcante é que nos dois confrontos contra o Inter-B, tão temido em 2017, o Farrapo não foi derrotado. Venceu por 1×0 fora de casa e empatou sem gols no Nicolau Fico, mas em resultado que não influiu na tabela de classificação, pois o Farroupilha já tinha conseguido vaga na próxima fase.

Para se ter uma ideia da fragilidade do Inter-B, em 2005, vale lembrar que na segunda fase o quadro menor do Colorado foi o “lanterna” do grupo, conquistando dois pontos, oriundos de empates. Nas outras partidas conheceu apenas derrotas. Na campanha geral da Copa FGF, o Inter-B perdeu 8 jogos e venceu apenas seis.

Enquanto isso, o Farroupilha confirmou o seu bom momento histórico e bateu o São Paulo nas quartas de finais e foi parado apenas nas semifinais pela equipe da Ulbra de Canoas, que contava com o apoio de uma grande instituição universitária privada da região metropolitana do Estado. Nos dois confrontos contra a Ulbra, o Farrapo obteve dois empates e acabou perdendo a vaga na final porque os canoenses tinham melhor campanha geral na competição.

Na decisão, o título ficou com o Novo Hamburgo, que naquele mesmo ano já havia conquistado a Copa Emídio Perondi. O time da Terra do Calçado conseguiu garantir com a conquista uma vaga na Série C nacional de 2006, que ele já disputava em 2005. Para o algoz do Farroupilha restou o consolo de ter que disputar a Copa do Brasil do ano seguinte.

Enfim, foi assim que em 2005 o glorioso Farrapo conseguiu ter aproveitamento superior ao Inter-B no confronto direto e ao mesmo tempo quase abocanhou uma vaga em competição nacional. A torcida do Fantasma do Fragata espera que neste 30 de abril de 2017 tenhamos o ressurgimento do espírito do ano de 2005 e que o Farroupilha consiga derrubar o hoje amedrontador Inter-B.

Deixe seu comentário